top of page

POST EM DESTAQUE

  • Foto do escritorVitor Pinheiro

Instituto integra conversa em prol da Economia Azul no Espírito Santo


Foto: Paulo Sena - Seama ES

Na última quarta-feira (26) o Instituto Últimos Refúgios, junto a outras doze organizações ambientais, se reuniu com a Secretaria de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Seama) para dialogar sobre a “Economia Azul”, tema que trata de atividades econômicas que impactam ou são impactadas pelas zonas costeiras do Espírito Santo.


O Governo do Estado promoveu essa aproximação com organizações não governamentais e manteve como objetivo principal a criação de uma agenda de compromissos públicos que promovam o desenvolvimento e o fortalecimento do que é considerado Economia Azul em território capixaba.


Presente na ocasião, o secretário de Estado do Meio Ambiente e Recursos Hídricos, Felipe Rigoni, falou em entrevista ao portal oficial do Governo do ES, sobre a importância da união de várias frentes para discutir o assunto.


“É ouvindo que vamos entender o horizonte das prioridades. Estamos dando o primeiro passo que é unir o Estado e a sociedade civil organizada, além do setor empreendedor e da academia numa mesma onda. Estamos também não apenas construindo algo transparente e democrático, mas alinhado com a realidade de quem está imerso nas questões que afetam a vida dos capixabas e da biodiversidade marinha e costeira”, enfatizou o secretário.



Fotos: Paulo Sena e Leonardo Meçon


Fundador do Instituto Últimos Refúgios, Leonardo Merçon integrou o bate-papo e ressaltou a relevância de escutar e levantar propostas para a resolução de problemas e novas soluções no estado.


“Acho muito importante todos os tipos de colaboração que buscam ajudar o Governo a adotar medidas favoráveis à conservação da natureza e a participação de Organizações da Sociedade Civil (as OSCs) nesse processo é muito bem-vinda para colaborar com as políticas públicas”, concluiu Leonardo.



As Ong´s presentes


Economia Azul


A economia azul se baseia no uso sustentável dos recursos oriundos dos oceanos. Segundo a BBC News, se esse setor fosse separado e contado como um país, seria a sétima maior economia do mundo. Se formassem uma nação, os oceanos seriam integrantes do G7.


Pensando nisso, a Secretaria de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Seama) está promovendo reuniões com ONGs, ambientalistas e demais organizações ambientais para entender quais são as prioridades do Estado dentro da pauta da Economia Azul.


Foto: Leonardo Meçon



O Espírito Santo é um dos estados mais biodiversos do mundo; por isso, é importante que estejamos na vanguarda da proteção dos oceanos. Para isso, a participação conjunta de todos os pilares da sociedade é fundamental!


Comments


bottom of page