top of page

POST EM DESTAQUE

  • Foto do escritorVitor Pinheiro

Proteção de marsupiais no ES: conheça estudo em prol do bem estar do gambá-de-orelha-preta no estado


Momento de agradecimento ao CETAS/IBAMA/ES durante apresentação / FOTO: Caroline Reis

O trabalho de dissertação de mestrado “Conflitos enfrentados pela população de gambás-de-orelha-preta, Didelphis aurita, Wied-Neuwied, 1826, em áreas urbanizadas”,

realizado pela bióloga, Iasmin Macedo, está disponível online, aqui, no site do Instituto Últimos Refúgios.


O estudo buscou identificar e caracterizar os conflitos que afetam o bem-estar e o estado de saúde da população de gambás-de-orelha-preta (Didelphis aurita), em área urbana no estado do Espírito Santo.


“Animais da fauna nativa estão sofrendo com a perda de habitat e necessitam buscar novas áreas para sobreviver. As cidades se tornam uma opção para a sobrevivência desses animais, tendo farta disponibilidade de alimentos e abrigos. Algumas espécies se adaptaram muito bem ao ponto de terem sua densidade populacional maior em áreas urbanas do que em áreas naturais, denominadas ‘exploradoras urbanas’.”, é dessa premissa que a atual presidente do Instituto Últimos Refúgios parte para o estudo. 

Demais momentos durnte apresentação da dissertação / FOTOS: Caroline Reis

Defendida em novembro de 2023, a dissertação descreve um trabalho prático de 12 meses, em que foram avaliados os gambá-de-orelha-preta resgatados por todo o Espírito Santo. A pesquisa foi realizada em parceria com o Centro de Triagem de Animais Silvestres (CETAS/ES), por meio do Acordo de Cooperação firmado, em 2020, entre o Instituto Últimos Refúgios e o IBAMA, para promover o apoio operacional ao CETAS-ES .

Orientador do estudo, Aureo Banhos é Doutor em Genética, Conservação e Biologia Evolutiva e Professor na Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes). Ele salientou que dissertação contribui significativamente para a compreensão da dinâmica dos conflitos entre seres humanos e a fauna nativa, oferecendo dados essenciais para a gestão e conservação desses animais em ambientes urbanos. "Iasmin traz à luz a frequência e natureza dos conflitos, como o alto número de filhotes órfãos, e oferece insights valiosos sobre a reabilitação dos gambás-de-orelha-preta. Além disso, a pesquisa enfatiza a necessidade de ações educativas para a comunidade, visando reduzir esses conflitos e melhorar a convivência com a fauna urbana", explicou o professor, que concluiu dizendo que foi uma honra orientar o trabalho.

Você pode conferir, assim como fazer o download da dissertação logo abaixo:



DISSERTAÇÃO - Iasmin Macedo
.pdf
Fazer download de PDF • 8.19MB

O Doutor Yhuri Nobrega é especialista em Ecologia de Sistemas e integrou a banca avaliadora do Projeto. Ele classificou a conciliação do desenvolvimento urbano com as biodiversidades (uma das maiores problemáticas do trabalho) como um dos maiores desafios para as próximas gerações. Ele ainda cita que a dissertação aponta todo o processo de como todo essa harmonia aconteceria, além de novas soluções para o problema. "A Iasmin nos deu um trabalho de excelência, extremamente inovador, que aponta, para a sociedade, caminhos importântes para aplicarmos a ciência na conservação da natureza. Além disso é uma grande representatividade feminina no universo da conservação e da ciência, coisas que tornam a Iasmin, hoje, em uma das principais lideranças ambientais do Espírito Santo", concluiu Nóbrega que também é fundador do Projeto Caiman, iniciativa de pesquisa e conservação do jacaré-do-papo-amarelo no Brasil.


Iasmin Macedo é capixaba e atual Presidente do Instituto Últimos Refúgios (IUR). Bacharel em Ciências Biológicas pela Faculdade Pitágoras de Linhares (2013). Mestre em Biologia Animal pela Universidade Federal do Espírito Santo (UFES) 2021-23. Desde 2017 atua como bióloga no IUR, coordenando equipe de pesquisa e trabalhos de Difusão Científica, e na coordenação e orientação de estagiários e voluntários. Idealizadora e coordenadora do Projeto Marsupiais, em prol da conservação das espécies de marsupiais brasileiras. Responsável técnica pelo Acordo de Cooperação Técnica firmado entre IUR e Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (IBAMA), que visa o desenvolvimento de pesquisas científicas e trabalhos de resgates e reabilitação de animais debilitados recebidos pelo Centro de Triagem de Animais Silvestres (CETAS/ES). 


Fez parte da equipe de gestão e comunicação no projeto de transferência do Museu Augusto Ruschi e desenvolveu o Projeto de Livro fotográfico: Últimos Refúgios: Do Parque de Pedra Azul ao Parque do Forno Grande. 


Atualmente coordena o Projeto Vitória da Restinga, trabalhando a sensibilização ambiental em prol do ecossistema de restinga, faz parte da equipe do Projeto Harpia, no Parque Estadual do Rio Doce, está na equipe organizadora dos Documentários: Corredor Ecológico Pedra Azul x Forno Grande e Águas do Itapemirim e dos projetos de livros culturais/ambientais: Baía das Tartarugas, Restinga de Camburi e Parque Botânico Vale.



88 visualizações

Commenti


bottom of page