top of page

POST EM DESTAQUE

  • Foto do escritorVitor Pinheiro

Projeto Vitória da Restinga encerra o ano com Limpeza de praia em Camburi


Limpeza sendo realizada na restinga de Camburi, na altura do Atântica Parque / FOTO: Jenifer Zamperlini No dia 16 de dezembro, o Projeto Vitória da Restinga convidou o público e foi até Camburi para realizar sua última limpeza de praia em 2023. Além da coleta de resíduos nas areias, foi realizada, no Atlântica Parque, uma campanha ecológica, que contou com os trabalhos de sensibilização ambiental do Instituto de Pesquisa e Reabilitação de Animais Marinhos (IPRAM) e do Projeto Baleia Jubarte, além das interpretações de música, mágica e teatro, trazidas pela Passarim Produz. 


Abordando a temática de fim de ano e a chegada do verão, a equipe do Projeto Vitória da Restinga conversou com  o público que frequentou o local e reforçou a importância da Restinga e da manutenção do ecossistema na costa.



O IPRAM marcou presença com sua exposição de animais taxidermizados e ganhou a atenção do público. Com albatroz, pinguim, tartaruga e até um lobo marinho, o Instituto realiza a sensibilização sobre a vida marinha e explica a influência do descarte correto de lixo, a importância daquelas espécies para a manutenção do ecossistema e outras questões. Todos os animais utilizados no processo de taxidermia vieram a óbito por ações antrópicas, ou seja, pela influência do ser humano em seu ecossistema.



"Ações de sensibilização ambiental são importantes para podermos mostrar para as pessoas quais são os animais que vivem onde abitamos, quais impactos eles sofrem decorrente de atividades antrópicas. Sempre é uma oportunidade única para poder sensibilizar as pessoas que visitam as tendas e em ações conjuntas sempre temos um impacto maior", explicou Wilson Meirelles, supervisor de projetos no IPRAM.



O Projeto Baleia Jubarte esteve presente para fazer uma abordagem sensibilizadora a respeito do descarte incorreto de lixo e os impactos gerados quando esse resíduo chega ao mar. Paula Montenegro, educadora do Projeto, valorizou a área do Atlântica Parque, onde é possível encontrar muitas crianças acompanhadas dos pais e fazer o trabalho de sensibilização chegar às famílias como um todo.

“Sempre levamos atividades que podem ajudar os visitantes a entender melhor os oceanos, seus animais, a biologia das espécies, os principais animais que encontramos na costa capixaba e seu comportamento. Sempre trazendo, de forma lúdica, informações que despertem a curiosidade das pessoas, o que nos possibilita criar uma cultura oceânica em uma cidade que é uma ilha”, concluiu Paula que coordenou as atividades do projeto naquela tarde.

Atuações do Projeto Baleia Jubarte e IPRAM no evento / FOTOS: Jenifer Zamperlini


Limpeza de praia simbólica

A limpeza de praia é um instrumento de sensibilização representativo, que atinge tanto quem está praticando a ação, quanto os banhistas que avistam a mobilização. Eliene foi uma das voluntárias neste fim de semana e dentre a enorme quantidade de resíduo alimentar (embalagens e restos orgânicos), ela chamou a atenção para a grande incidência de canudos na areia, prejudiciais na conservação da vida marinha.

“O que mais achei foram embalagens e palitos de picolé, além dos canudos que se chegam no mar são um perigo para nossos peixes e tartarugas. Por favor, vamos nos conscientizar e jogar nosso lixo no lixo”, concluiu a voluntária. 



Equipes de voluntários que participaram da limpeza nas areias / FOTOS: Jenifer Zamperlini e Vitor Pinheiro

Tampas e esponjas plásticas

Neste evento, estavam mais uma vez presentes os “ecopontos” para coleta de tampinhas plásticas e esponjas. A prática vem sendo adotada ao longo do ano e todo o material é destinado para o descarte apropriado, ajudando causas sociais e tornando o uso do resíduo sustentável. As tampas plásticas são vendidas para reciclagem pelo grupo Gatinhos Pedra da Cebola e convertidas em verba para financiar gastos em prol dos cuidados de animais em situação de abandono. Já as esponjas vão para o Hospital Veterinário Silvestres, que direciona o material para a reciclagem adequada.


Bento, de 9 anos, soube da iniciativa em sala de aula, por meio de professores na escola EMEF Álvaro de Castro Mattos e decidiu fazer a sua parte, levando uma boa quantidade que já recolhia em casa, mais a porção que estava armazenada na escola (o que encheu um galão de 20L).


“A escola falou sobre o projeto e estou juntando em casa desde julho. Não consegui encher o último galão até o topo, mas vou trazer na próxima!”, prometeu o pequeno, que é aluno do quarto ano do ensino fundamental. 



Entrega de tampas plásticas / FOTOS: Jenifer Zamperlini e Vitor Pinheiro

Atividades lúdicas

O público infantil se divertiu com a pintura corporal, representando fauna e flora do ecossistema de restinga, além de brincadeiras com a Coruja Atena e com o artista e produtor Vitor Passarim, que no fim da tarde, realizou um show interativo com a criançada que cantou e participou de números de mágica e teatro.



Atividades lúdicas com o público / FOTOS: Jenifer Zamperlini


Projeto Vitória da Restinga

O projeto é uma realização do Instituto Últimos Refúgios. Em parceria com a Vale e a Prefeitura de Vitória e busca promover o diálogo com a comunidade por meio de ações de sensibilização ambiental, informando sobre a importância da Restinga, a biodiversidade local e o trabalho de revitalização na Restinga da Orla de Camburi, em Vitória, capital do Espírito Santo.

O objetivo é gerar um efeito positivo para as comunidades locais e ressaltar a importância de conservar a biodiversidade desse ambiente tão impactado.








14 visualizações
bottom of page