POST EM DESTAQUE

Projeto Marsupiais produz boletim técnico sobre cuidados e reabilitação de filhotes de gambás

O Projeto Marsupiais, a convite da Associação Brasileira de Veterinários de Animais Selvagens (ABRAVAS), colaborou na produção de um boletim técnico sobre cuidados, reabilitação e soltura de filhotes de gambá. A edição é mais uma publicação com conteúdo científico e informativo para membros associados da organização.



O material escrito por Iasmin Macedo, coordenadora do Projeto Marsupiais, e pelas voluntárias Caroline Reis e Lorena Musiello busca orientar biólogos, veterinários e cuidadores no manejo destes animais. O foco é para filhotes resgatados e/ou entregues aos centros de reabilitação, que precisam de cuidados específicos após óbito parental.


Iasmin Macedo, Caroline Reis e Lorena Musiello, respectivamente.


A previsão é de que com o ínicio da temporada reprodutiva dos gambás, entre julho e agosto, ocorra um aumento na demanda por resgates. Os procedimentos descritos no boletim podem auxiliar nos primeiros cuidados de animais feridos ou em situação de vulnerabilidade até contato com os órgãos ambientais responsáveis.


A ABRAVAS já conta com mais de 40 publicações do boletim técnico. A edição Agosto/2020 produzida pelo Projeto Marsupiais - “Cuidados, Reabilitação e Soltura de Gambás-de-orelha-preta” - está disponível para membros associados da ABRAVAS e para seguidores do projeto pelo link.



PROBLEMÁTICA

Os filhotes de gambá nascem prematuros, após dez dias de gestação, e concluem seu desenvolvimento na bolsa (marsúpio) da mãe. Neste período, são alimentados, protegidos e totalmente dependentes dos cuidados maternos para sobreviver.


Filhotes no marsúpio. Foto: Iasmin Macedo


Filhotes órfãos - quando encaminhados aos centros de reabilitação - exigem meses de acompanhamento profissional especializado, com alimentação adequada e frequente, até atingirem idade suficiente para serem libertados na natureza.


O Projeto Marsupiais atua no resgate e reabilitação de gambás em cooperação com o “Centro de Reabilitação de Animais Silvestres” (CETAS) do IBAMA, no município da Serra/ES. A média é de 250 marsupiais resgatados todos os anos, em sua maioria filhotes.


A alta demanda por cuidados justifica a importância de materiais informativos que orientem a população sobre como lidar com animais silvestres no meio urbano. De acordo com servidores do CETAS, a maioria dos animais resgatados surgem por solicitação de moradores quando são encontrados machucados ou acuados, vítimas de ataques de animais domésticos (como cães e gatos), ataques de humanos, atropelamento ou envenenamento.



ABRAVAS

A ABRAVAS é uma associação civil sem fins lucrativos, de caráter científico-cultural, que reúne médicos veterinários e estudantes interessados em animais selvagens para promover o aprimoramento profissional, o bem-estar animal e a conservação da biodiversidade.


Conheça mais sobre a associação em abravas.org.br

O Instituto Últimos Refúgios é uma organização sem fins lucrativos na qual os participantes são voluntários e precisa de recursos para financiar as suas atividades. Se gosta de nosso trabalho e quer que ele continue, saiba como colaborar clicando na imagem abaixo ou no link: PARTICIPE.


"Inspirando pessoas, promovemos mudanças!"


Também acompanhe o Instituto Últimos Refúgios nas mídias sociais.





Somos uma organização sem fins lucrativos. Por isso dependemos de doações para manter viva a luta em prol do meio ambiente. Sua colaboração mensal garante a continuidade e a independência do nosso trabalho.

Post_amigos_do_ultimos_refugios01.jpeg

Quer receber novidades? - Assine a newsletter

CALL US:

+55 (27) 3022-1667

Rua Humberto Balbi - 21 - Ed. Renê Descartes - sala 208 -

Jardim Camburi - Vitória, ES - Brazil

2006-2019 © Últimos Refúgios - All rights reserved

  • Facebook - Últimos Refúgios
  • YouTube - Últimos Refúgios
  • Instagram - Últimos Refúgios
  • Twitter - Últimos Refúgios