POST EM DESTAQUE

  • Ana Clara Mardegan

Oficina incentiva divulgação científica a partir de vídeos educativos

A divulgação científica, ou popularização da ciência, é a ferramenta utilizada por muitas universidades e instituições do Brasil - e do mundo - para incentivar jovens universitários a se aventurarem no meio acadêmico. A modalidade apresenta temas complexos ao público leigo, levando conhecimento de forma didática e assertiva a toda a população.


Pensando nisso, o Ifes campus Vila Velha, com apoio do Instituto Últimos Refúgios e do Projeto Meliponifes (Ifes Campus Vitória), promoveu no último mês uma oficina de divulgação científica aos alunos de licenciatura em química. O objetivo foi ensinar técnicas básicas de gravação, roteiro e comunicação para produção de vídeos sobre os projetos de extensão do campus.


A oficina foi realizada por João Zanardo, coordenador de educação ambiental do Instituto Últimos Refúgios, e o biólogo e especialista em educação e divulgação científica Paulo Henrique Silvares, a convite da professora idealizadora Raquel Dardengo.




METODOLOGIA

A oficina abordou os conceitos da divulgação científica e sua importância na sociedade, além da história do audiovisual, técnicas de produção e gravação de vídeos. O grupo ainda debateu temas da atualidade, como fake news e o papel do cientista como agente de divulgação da ciência: “Os detentores do conhecimento científico precisam ocupar os meios de comunicação de forma mais humanizada, levando informações mais simplificada e acessível para a população”, comenta o biólogo João Zanardo.



O foco foi promover a divulgação científica a partir de vídeos educativos, propondo aos estudantes que produzissem um vídeo sobre os projetos de extensão do Ifes. Os realizadores orientaram o desenvolvimento do material com o vídeo “A química do mel”, gravado com recursos amadores para incentivar os alunos na produção de seus próprios vídeos.



A iniciativa teve apoio do Parque Botânico Vale, que cedeu o espaço para as gravações, e do projeto Meliponifes, iniciativa que visa construir um espaço didático-experimental para analisar relações biológicas entre abelhas e plantas em espaços urbanos, construindo um ambiente de educação ambiental no Ifes Campus Vitória.



A oficina dará origem a um artigo científico sobre a importância da difusão científica praticada por alunos de ensino superior e o papel do vídeo como ferramenta educativa. A modalidade é pauta obrigatória no cenário atual, como relata o biólogo João Zanardo: “A ciência não pode ficar presa dentro das universidades. Democratizar o acesso aos dados científicos é essencial para que toda a população possa se manter informada, principalmente agora, durante a pandemia, quando percebemos a importância da divulgação científica e o papel dos cientistas como divulgadores e validadores de informação.



Confira o vídeo na íntegra:


* O vídeo “A química do mel” ainda está em processo de validação e não configura uma peça de educação ambiental/divulgação científica. O material é apenas um modelo de divulgação.

66 visualizações