POST EM DESTAQUE

Motivos para preservar os manguezais

Os manguezais são ecossistemas costeiros de transição entre os ambientes terrestre e marinho. No Brasil, ocorrem em quase todo o litoral, desde o estado do Amapá até Santa Catarina, provando-se uma das maiores extensões de mangue do mundo.


Reconhecidos por sua alta produtividade biológica e relevância ecossistêmica, os manguezais são fundamentais para o equilíbrio ecológico ambiental, sustentando uma biodiversidade de espécies animais e vegetais, e um importante papel na ciclagem de matéria orgânica. Além disso, representam um importante meio de subsistência para diversas famílias, contribuindo no desenvolvimento econômico local e na promoção cultural das comunidades ribeirinhas.


A seguir, apresentamos alguns dos principais motivos para preservarmos os manguezais:



SÃO BERÇÁRIOS DA VIDA MARINHA

A grande diversidade de matéria orgânica associada às áreas protegidas entre as raízes das árvores tornam os manguezais ambientes propícios à alimentação, reprodução e desenvolvimento de diversas espécies de animais.


Estas áreas são habitats para ostras, cavalos-marinhos, quelônios, moluscos, crustáceos, aves, mamíferos, répteis, anfíbios e peixes, tornando-o um verdadeiro “berçário da vida marinha”. Neste sentido, preservar os manguezais significa também proteger a fauna marinha e toda sua cadeia ecológica/produtiva.


Garça-noturna, Saracura-matraca, Aratu-vermelho, Caranguejo-uçá, respectivamente. Fotos: Leonardo Merçon



GARANTEM A SUBSISTÊNCIA DE MILHARES DE PESSOAS

Por serem ambientes altamente produtivos, os manguezais são reconhecidos por sua importância socioeconômica. Estudos indicam que mais de 75% dos peixes, crustáceos e moluscos capturados para fins comerciais habitam os manguezais em algum estágio do seu ciclo de vida, como as outras e os caranguejos.


A preservação dos manguezais implica na subsistência de pescadores, ribeirinhos, e todos aqueles que, de alguma forma, precisam dos manguezais para sobreviver.


Manguezal. Fotos: Leonardo Merçon



ABSORÇÃO DE CARBONO ATMOSFÉRICO

Entre os ecossistemas florestais, os mangues são reconhecidos por sua capacidade de absorver a grande quantidade de gás carbônico presente na atmosfera. O “sequestro de carbono”, como este fenômeno natural é conhecido, consiste na transferência de carbono da atmosfera para o solo e a água por meio das árvores do mangue.


Além da importância nos processos bioquímicos naturais, o fenômeno ajuda a combater o aquecimento global e, consequentemente, as alterações climáticas em todo o mundo. Desse modo, entendemos que as florestas de mangues têm influência em todos os processos ambientais que envolvem as mudanças climáticas, a exemplo do degelo das calotas polares e o branqueamento dos corais.



PROTEÇÃO DE REGIÕES COSTEIRAS

A vegetação do mangue, principalmente seu sistema de raízes, é capaz de reduzir o impacto da água do mar nas regiões costeiras, protegendo cidades litorâneas contra os efeitos da erosão das marés, tempestades, aumento do nível do mar, e até mesmo tsunamis.


Raízes do mangue. Fotos: Leonardo Merçon


De acordo com relatórios ambientais internacionais, a presença de manguezais em algumas cidades costeiras foi essencial na redução do impacto de tsunamis ao longo da história, como o tsunami do Oceano Índico, em 2004.


Apesar do Brasil nunca ter sido atingido por este fenômeno natural - graças à sua localização geológica privilegiada - outros fenômenos ambientais, como enchentes e alagamentos - causados pela elevação das marés - podem causar grandes estragos ao litoral do país.



PREVINE O ASSOREAMENTO

O assoreamento de cursos d’água consiste no acúmulo de sedimentos pelo depósito de solo e outros tipos de detritos no fundo de rios, baías e lagos, sendo responsável por provocar a redução do volume de água de habitats naturais. O assoreamento também torna a água turva, dificulta a entrada de luz e compromete severamente o processo de fotossíntese de espécies vegetais.


O fenômeno ainda aumenta o risco de enchentes, visto que a redução do volume dos rios facilita o transbordamento da água, comprometendo a circulação de embarcações. Apesar de natural, o processo é intensificado pela ação humana com o desmatamento de florestas de mangue.



ATUAM COMO FILTROS BIOLÓGICOS

Os microrganismos dos manguezais são capazes de processar lama e matéria orgânica, promovendo a fixação e a inertização de partículas contaminantes. O despejo de esgoto nestas áreas, por exemplo, sofre ação de bactérias que retêm nutrientes importantes para equilíbrio do ecossistema, tornando-os parte de sua biomassa.


Todos os “motivos para preservar os manguezais” estão relacionados a diversos outros processos ecológicos de ocorrência natural que sofrem ação direta ou indireta deste ecossistema, responsável por garantir o equilíbrio ambiental e a subsistência de milhares de pessoas.

O Instituto Últimos Refúgios é uma organização sem fins lucrativos na qual os participantes são voluntários e precisa de recursos para financiar as suas atividades. Se gosta de nosso trabalho e quer que ele continue, saiba como colaborar clicando na imagem abaixo ou no link: PARTICIPE.


"Inspirando pessoas, promovemos mudanças!"


Também acompanhe o Instituto Últimos Refúgios nas mídias sociais.





Somos uma organização sem fins lucrativos. Por isso dependemos de doações para manter viva a luta em prol do meio ambiente. Sua colaboração mensal garante a continuidade e a independência do nosso trabalho.

Post_amigos_do_ultimos_refugios01.jpeg

Quer receber novidades? - Assine a newsletter

CALL US:

+55 (27) 3022-1667

Rua Humberto Balbi - 21 - Ed. Renê Descartes - sala 208 -

Jardim Camburi - Vitória, ES - Brazil

2006-2019 © Últimos Refúgios - All rights reserved

  • Facebook - Últimos Refúgios
  • YouTube - Últimos Refúgios
  • Instagram - Últimos Refúgios
  • Twitter - Últimos Refúgios